Publicado por: ssaude | 10/07/2010

Malária ou Paludismo

A malária ou o paludismo é uma das infecções mais frequentes e de elevado risco em muitas áreas tropicais e subtropicais, existindo em diversos países dos continentes americano, africano e asiático.

É uma doença causada por quatro espécies diferentes de protozoários do género Plasmodium: falciparum, vivax, ovale e malariae. Estes parasitas são transmitidos ao Homem pela picada do mosquito Anopheles infectado, o qual pica geralmente entre o entardecer e o amanhecer, podendo, no entanto, picar durante o dia.

O período de incubação entre a picada do mosquito infectado e o começo dos sintomas varia entre 7 dias e 4 semanas, dependendo da espécie do parasita.

Os viajantes que se deslocam para zonas em que existe risco de contrair paludismo devem:
– Estar conscientes sobre o grau de risco que correm, pelo que as grávidas e pais de crianças pequenas devem interrogar-se sobre a oportunidade da sua viagem;
– Cobrir todas as partes expostas do corpo com repelente de insectos que contenha dietiltoluamida (DEET) ou
butilacetiletilaminopropionato (repelente 3535);
– Optar por vestir roupas claras;
– Fechar as portas e janelas à noite e/ou cobri-las com rede mosquiteira;
– Pulverizar os alojamentos com insecticidas ou utilizar difusores eléctricos;
– Ligar o ar condicionado no quarto;
– Evitar, se possível, estar no exterior entre o anoitecer e o amanhecer, já que é neste período que estes mosquitos atacam mais;
– Tomar a medicação anti-palúdica de acordo com o esquema posológico recomendado pelo médico.

Lembre-se que:
– Os medicamentos anti-palúdicos receitados devem ser ingeridos após a refeição e com água abundante;
– Todos os anti-palúdicos cujas tomas sejam semanais, devem ser começados a tomar 1 semana antes da partida;
– Os anti-palúdicos cujas tomas são diárias devem ser iniciados 2 dias antes ou na véspera da partida;
– A escolha do anti-palúdico é da competência do médico, dependendo do destino da viagem e dos antecedentes patológicos e hábitos medicamentosos do viajante;
– Deve continuar a tomar a medicação 1 ou 4 semanas após o regresso, consoante o medicamento em causa;
– A malária pode surgir apesar da profilaxia anti-palúdica;
– Os sintomas de malária podem ser semelhantes aos de uma gripe com febre, arrepios de frio, podendo ainda surgir icterícia moderada e dores de cabeça e musculares;
– Nas 4 semanas após o regresso de uma área de elevado risco de malária, o aparecimento de febre é uma emergência médica, pelo que os viajantes devem procurar cuidados médicos imediatos.

Pode ainda consultar esta brochura, elaborada pelo Departamento de Saúde Pública da ARS Norte, I.P., bem como ler o que escrevemos sobre protecção contra insectos.

NPS

About these ads

Responses

  1. […] Malária ou Paludismo […]


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Categorias

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 55 outros seguidores